Feed

Assine o Feed e receba os artigos por email

segunda-feira, 31 de dezembro de 2012

Feliz ano velho!

Com o ano que vai
ficam as relíquias que guardo
com esmero
e o que caiu em desuso
para me fazer lembrar
que sempre me renovo
das teimosias convictas.

Com o ano que vem
espero tesouros ainda por lapidar
para eu fazer uso
de construir um caráter novo
e não esquecer que eu sou
um fio de ontem ensimesmado
para alcançar, pelo viés da vida,
meu hoje e meu sempre...

Para quem é um vaga lume
piscando sozinho
no meio do povo:

feliz ano novo!

Um comentário:

Uma superfície de gelo ancorada no riso disse...

Márcio,

Feliz Ano!

Porque dos ontens que se lançam esboços de acontecer (a)manhãs.

Beijo na alma,
Sam.

Arquivo do blog