Feed

Assine o Feed e receba os artigos por email

sábado, 20 de setembro de 2008

Rastro

hoje eu me enchi
dum pouco de mim que anda espalhado
por ai
me enchi da ferida feroz
que morde meu corpo
que fura meu coração e me deixa medroso
uma janela aberta assim
embaixo dum telhado sem parede
é uma proteção que me faz um astro brilhando no céu
estrelinha cintilante
que já deixou de brilhar faz tempo
e eu, rastro sem cometa
meti meu nariz onde não fui chamado
e agora me vejo estranho
nesse lugarzinho chamado mundo
espero que, pelo meu tamanho
eu possa me caber dentro de mim
pois não sei se eu me caibo aqui

Arquivo do blog