Feed

Assine o Feed e receba os artigos por email

quarta-feira, 11 de fevereiro de 2009

Arestas

Pelas arestas de mim,
visível, inconfundível,
abstrato, relapso,
urge meu fim,
algo notável,
algo submerso,
onde guardei meu sonho
que se soltou por aí,
que veio dar aqui,
nesse incomensurável
valor de ser real.
Resta apalpá-lo,
resta restaurá-lo,
pois, que agora,
sou espátula,
raspo meus pedaços
e junto-os por ai,
em ti, em qualquer lugar.

5 comentários:

Mai disse...

Oi, querido.

Dias de chumbo me deixam sem norte e minha sorte é te achar por aqui.

Gostei do poema, cheio de sons.

beijos, Márcio.

Com calma voltarei para ler o que perdi esses dias.

Carinho, muito.

Erica Maria disse...

Sonhos que se soltam, sempre voltam pra nós...

Lindo poema!!

Vc não vai passar no meu blog pra pegar os dois selos que te repassei?

Bjs :)

Zingador disse...

Espátula e junta. Como o mundo não para e então temos de nos reajuntar rapidamente, que estejamos sempre prontos. Adorei a liberdade, adorei.
Abrço perfumado.

Sam disse...

E continue a espalhar sempre seus sorrisos por aí, pelas arestas do mundo!

Beijos Meus, querido!

freefun0616 disse...

酒店經紀人,
菲梵酒店經紀,
酒店經紀,
禮服酒店上班,
酒店小姐兼職,
便服酒店經紀,
酒店打工經紀,
制服酒店工作,
專業酒店經紀,
合法酒店經紀,
酒店暑假打工,
酒店寒假打工,
酒店經紀人,
菲梵酒店經紀,
酒店經紀,
禮服酒店上班,
酒店經紀人,
菲梵酒店經紀,
酒店經紀,
禮服酒店上班,
酒店小姐兼職,
便服酒店工作,
酒店打工經紀,
制服酒店經紀,
專業酒店經紀,
合法酒店經紀,
酒店暑假打工,
酒店寒假打工,
酒店經紀人,
菲梵酒店經紀,
酒店經紀,
禮服酒店上班,
酒店小姐兼職,
便服酒店工作,
酒店打工經紀,
制服酒店經紀,
酒店經紀,

,酒店,

Arquivo do blog