Feed

Assine o Feed e receba os artigos por email

segunda-feira, 4 de maio de 2009

Poema de Adeus

Para quem gosta de ausência,
fica a decência
que um dia revelei de minha nudez.
Para quem gosta de sorriso,
fica o que preciso
em mim escasso para transbordar.
Para quem gosta de adeus,
fica uns versos meus
que ainda não escrevi...

4 comentários:

Dauri Batisti disse...

Que bom que poderemos ter os versos que você ainda não escreveu. O adeus torna-se promessa.

Abraço.

Mai disse...

Ei menino bonito, que passa?
Que versos ainda não escritos e que não desejo que tão cedo tu os escrevas.

Ei, menino sorriso, cadê o teu riso que tantas vezes me deste ?
Que adeus?
Que poema tão triste é este?

Márcio,
Escreve outros versos, vai!
Hoje eu queria tudo, menosisto.

Carinho,

Mai

Tatiana disse...

Os versos são lindos...
Mas o Adeus... esse dói!

Vim apreciar e lhe trazer o meu carinho

Beijos

Sam disse...

Ausência?
só se for pra saudade dar à ela um adeus depois!

Mas eu?
Fico com os sorrisos!
Sempre com os sorrisos, principalmente se forem os teus(com os meus)!

Carinho, carinho, carinho, carinho..
Sam

Arquivo do blog