Feed

Assine o Feed e receba os artigos por email

sábado, 27 de novembro de 2010

animal

o animal é um homem selvagem,
nem salvo de corpo,
nem limpo de alma...

e tem presas também, meu deus!
e urra aflito,
e foge para o lado.

e tem patas também, meu deus!
e trepa em árvores,
e caça cansado...

a fome é uma companhia
que só alivia
quando é devorada
por esses dentes,
por esses olhos
de animal faminto.

5 comentários:

Mai disse...

Este eu vi nascer e ficou bom demais.

beijos

Patrícia Gonçalves disse...

É estranho nos dar conta do animal que há em nós, de sermos famintos, de caçarmos, fugir se acuados e atacarmos. Tento me despir da minha pele de animal e o que sobra é uma leve lembrança de um ser, somente, desnudo.

Li seu comentário poema na Nydia e adorei. Vim te visitar e te sigo!

beijos

nydia bonetti disse...

a fome nos iguala. e faz do homem a grande fera. e são tantas a fomes. e são tantas as feras...

beijo, boa semana!

Vivian disse...

...é por isso que vivemos
enjaulados, reféns dos
instintos ainda indomáveis.

um dia...quem sabe...

muitos beijos com saudades.

Rolando disse...

Oi. Tudo blz? Estive por aqui. Interessante. Apareça por lá. Abraços.

Arquivo do blog