Feed

Assine o Feed e receba os artigos por email

quinta-feira, 3 de fevereiro de 2011

Um drink

Contos e palavras
pelo revés de nós.
Eu tenho sede de palavra, e
durmo na rede das sílabas,
cambaleantes e estendidas
num sustenido de verso
que meu coração
de bêbado tece.

Um comentário:

Samara Bassi disse...

Verso
verseiro
recortando as vírgulas em reticências...
Quando uma palavra de madeira cai no chão,
Cai no chão... dessa maneira!

Arquivo do blog