Feed

Assine o Feed e receba os artigos por email

domingo, 31 de agosto de 2008

Corpo banhado

Será que nosso corpo esfria quando a água quente deixa de cair?
Esse chuveiro envelhecido,
Água morna no verão
Queima a emoção da gente.
Esse chuveiro desgastado,
Quando frio,
O vento lá fora assaltando a nossa pele em arrepio
Veste ainda mais em tremedeira
O corpo ferido e arrepiado
Dentro de um banheiro suado
Embaixo duma água infeliz.
Será que nosso corpo aquece com outro corpo banhado?
Esse nosso corpo pelado,
Quando se cola noutra pele desnuda,
Enche mesmo é de vapor
Que vai saindo pelos poros,
Tudo junto suado,
Um calor de incendiar.
Quando nossa pele é atrito,
Nossa boca é refúgio de línguas desvairadas,
Nosso corpo é fusão,
Nosso banho, nosso cheiro, nosso encantamento...

Arquivo do blog