Feed

Assine o Feed e receba os artigos por email

terça-feira, 7 de setembro de 2010

acorde

antes que eu me recorde
ela toma posse de mim
ao olhar esse céu sem pauta
buscando nesse acorde
qualquer nota sem fim
que me faça internauta
dessa música que arde
como um desespero covarde
de poesia que não se despede
e nem arrefece a alma
mas enche de calma
meu olhar cheio de sede

5 comentários:

Sam disse...

Mas que lindo, Márcio!

Senti ritmo, som, tom, cor, cheiro, sabor... Tudo casando nessa tua poesia onde a sincronicidade mais parece uma orquestra.

Musica...

Sintonia Bela!

Beijo meu querido.

Domingos Barroso disse...

Insaciável sede
da mais intensa
suavidade,
mesmo que o grito
se faça desejável.

Um poema que se move.

Forte abraço,
camarada.

Ester disse...

Esse poema é uma canção!

Com acordes de sentimentos que toca quem lê e acorda para dentro...

sensível!

Bjs,

nydia bonetti disse...

Também gosto muito dos teus poemas Márcio. Ouço música por aqui... Bjo!

Marcio Nicolau disse...

olhar cheio de sede que nos brinda com belos versos.

Arquivo do blog