Feed

Assine o Feed e receba os artigos por email

sexta-feira, 5 de março de 2010

refúgio

um átomo,
um fim,
o sol aberto
sobre os objetos,
quando a ira
ainda estava calma,
estúpida beleza
de guardar
no verso
o que segredou
o dia.

2 comentários:

Mai disse...

Abri um sorriso agora.
Você cometeu essa poesia ontem e ficou linda!
Quando li, pensei, ele fez outra vez uma poesia instantânea. Puro fluxo teu relâmpago.

beijos, poeta.

Sam disse...

Sabe o que eu queria agora meu amor? Era me esconder no interior do meu interior"

Seu poema me trouxe esse trecho em mnha mente.

Sei lá, a gente sempre encontra um refúgio.... e vc, também encontrará o seu!

Beijo meu!

Arquivo do blog