Feed

Assine o Feed e receba os artigos por email

domingo, 24 de outubro de 2010

todo tempo do mundo

...temos todo o tempo do mundo,
é um absurdo que o espelho
não mostre tudo - tudo que eu queria ver.
além desse olhar triste,
além dessa palavra em riste,
além de tudo lá fora,
porque estou indo embora
para o verso que eu não fiz...
já bebi em goles secos
cada beijo que eu não quis,
mas era aquela flor de lis
que perdeu seu encanto
ao deixar cair uma pétala
de poesia e pranto.
sim, eu quis ser feliz,
mas a vida meretriz
entorpeceu as minhas veias
e o que era sonho virou pó.
agora badalo pelo timbre do tempo
minha sina de estar só -
porque todos os dias quando acordo
eu vejo que ainda vivo
sem esse remorso desesperado
pelo que ainda não veio...

3 comentários:

Sam disse...

"Quando não se tem o amor, ainda se tem as estradas"

Poema bonito e intenso.

Mai disse...

Outra canção. Até consigo solfejar.

Grave as melodias para não perder estas canções.

beijos, amigo mais querido

Lara Amaral disse...

Que bom que publicou aqui, deve fazer mais isso, pois vc deixa verdadeiras pérolas lá nos comentários.

Beijo.

Arquivo do blog