Feed

Assine o Feed e receba os artigos por email

domingo, 16 de novembro de 2008

Sempre longe

O poeta está sempre longe

Por isso sofre

Por isso é amigo do vazio


O poeta está sempre longe

E sente fome de abrigo

E sente a pele em lacuna


O poeta está sempre longe

E enxerga por sorrisos fechados

E visita por endereços perdidos


O poeta está sempre longe

Mas não longe na distância

Está sempre longe no tempo

Arquivo do blog