Feed

Assine o Feed e receba os artigos por email

sábado, 29 de novembro de 2008

Ponteiros

Sob a espreita dos ponteiros

uma folha de papel no rosto trazida pelo vento

uma mensagem de saudade

escrita a mão em letras borradas

traduzidas num encontro casual

versos sem rima que dizem

o quanto é bom ter você

rodando comigo nessa ciranda de ponteiros

onde os segundos correm mais rápido que os minutos

e descobri o quanto é bom amar você em mim

com o silêncio da vida me dizendo baixinho:

não desperdices nada desse carrossel.

Arquivo do blog