Feed

Assine o Feed e receba os artigos por email

quinta-feira, 1 de abril de 2010

duelo

na lama eu venço,
entorpecidamente,
à minha maneira
de concreto, e nuvem,
meu lar discreto
de papelão

Um comentário:

Mai disse...

Teu poema é pura imagem.
Estranhamente lembrei-me uma casa de taipa.

Duelos são assim, cada um tem seu algoz e salvador.

bjos.
Boa Páscoa!

Arquivo do blog