Feed

Assine o Feed e receba os artigos por email

quarta-feira, 4 de maio de 2011

sobre o inusitado de amar...

amor,
para mim,
é um
furacão
deitado
no berço
de um
silêncio...

4 comentários:

Hugo de Oliveira disse...

Bem verdade.

Celso Mendes disse...

Um furacão potencial, sempre. Muito boa esta imagem!

Abraço!

Mai disse...

É sim.
As vezes (raras) é mansidão, é remanso, mas logo depois é vento revolto. Amar em silêncio é bem assim...assim...

poema justinho...

beijos, amigo

Varanda Azuis disse...

Em poucas palavras: um mundo de verdades!

bjos...um lindo dia prá vc!

Arquivo do blog