Feed

Assine o Feed e receba os artigos por email

terça-feira, 26 de janeiro de 2010

olhos de aço

aqueles olhos
que estavam cheios
de praça

desnudaram
os sorrisos da rua

e se fartaram
de gente e de pedras

aqueles olhos
famintos
comeram
o espaço

e lavaram
a cinza do tempo

se lambuzaram

aqueles olhos
eram duas esferas
de amêndoa e aço

que despistavam
a atenção
dos transeuntes

que fitavam
fitavam
e nada viam

Um comentário:

Mai disse...

Olhos embaçados? Olhos e olhares me marcam, me calam, me fazem chover. Ruas de aço com gente de pedra, comendo a cinza do ar...
Lembrei de 'construção' do Chico Buarque, Márcio. Beijos, amigo.

Arquivo do blog