Feed

Assine o Feed e receba os artigos por email

sábado, 16 de abril de 2011

papiro e pedra

eu quero
o livramento
de não pecar,
livre,
em suma queda,
indubitável
até o estatelar
no estalo
de um dedo,
não apontar
que eu quero
ver, rir, chorar
o verso
de papiro
e pedra
que aqui:
esmero e brio...

Um comentário:

O Impenetrável disse...

interessante o seu poema, vai direto ao ponto, sem se perder. muito bom!

Arquivo do blog