Feed

Assine o Feed e receba os artigos por email

segunda-feira, 5 de janeiro de 2009

Ícone

O cheiro subiu a escada trazendo lembranças
Saciando a boca, que derrama sabor, grãos cosidos.
Um prato branco e raso forrado de feijão,
Arroz alvo misturando, fumaça subindo quente,
E o omelete despedaçando pelas beiradas,
Cúmplice e passivo, aos olhos famintos.
Por essas mãos, ela, dona de eu estar aqui,
E por onde o fogão se revela
Mais que um forno quente,
Por essas mãos, Dona Terezinha, senhora do dia,
Dona do amanhecer em demasia,
Quando molda o sonho em doce de batata,
É que se faz a vida, é por onde me moldei em poesia,
Assim, em teimosia espelhada:
Arroz e feijão com omelete batido.

Arquivo do blog