Feed

Assine o Feed e receba os artigos por email

segunda-feira, 26 de janeiro de 2009

Poema do infinito (ao meu avô)

Chegou...
Estava ali, acomodado como um ovo bem guardado,
quente e esperneante, vindo, assim, meio de repente.
Mas antes, se desenhou por beijos e abraços, por caminhar junto,
de pernas e braços, talvez um bico, uma cegonha,
mas a história estava sendo escrita.
Chegou...
O machado, a lenha, os pés calçados com alpercatas,
o jumento levando e trazendo o pão,
e a viagem para o futuro.
Suas mãos trouxeram estradas, trouxeram alguns pequenos rabiscos,
trouxeram de seu corpo, seu coração, alguns outros
que também se desenharam, meninos e meninas,
que também sorriram, choraram, e lapidaram a pedra.
Chegou...
Sorriu, fez um aceno e partiu, fez uma reserva de bem querer
e deixou aqui guardado em muitos cantinhos Tum, Tum, Tum.
Seu sorriso espalhado pelo vento, seu tempo cantando uma canção:
se fiquei esperando meu amor passar,
mas não passou, passou foi suas passadas rápidas,
foi quando sua visita era a mais aguardado do ano,
seus brinquedos, presentes de longe, misturados com saudade,
com abraços e sorrisos trazidos de lá, aqui.
Agora está aí, sorrindo com as estrelas,
nascendo para o infinito, sendo o infinito.

4 comentários:

Sam disse...

"...Sorriu, fez um aceno e partiu, fez uma reserva de bem querer
e deixou aqui guardado em muitos cantinhos Tum, Tum, Tum."

Tesouros sempre irão permanecer, não impota a distância, a hora nem o lugar.... o amor sempre permanecerá, no mundo de fora e preenchendo completamente aquele de nós, que carregamos no peito, por todos os passos dados e ainda aqueles só planejados no caminho.

Deus esteja presente, sempre!

Abraços, flores e estrelas...

Mai disse...

Querido,
onde estás?

'Chegaste... sorriste... fizeste um aceno e partiste mas fizeste reservas de bem-querer...'

Por isto estou aqui emocionada, outra vez com essa tua poesia.
Olha, é uma droga ser 'vivente'...
Porque o raio da saudade faz assim com a gente......
.........

Esterança disse...

"Mas antes, se desenhou por beijos e abraços, por caminhar junto,
de pernas e braços, talvez um bico, uma cegonha,
mas a história estava sendo escrita."

lindas histórias vc escreve,
suas emoções te levam por linhas
sempre generosas de expressões que nos tocam, quase como uma carícia,

tudo perfeito,

bjs,

Saara Senna disse...

Belíssimo poema!

Parabéns pela sensibilidade que transmite através das palavras.

Beijo grande :)

Arquivo do blog