Feed

Assine o Feed e receba os artigos por email

quarta-feira, 17 de dezembro de 2008

Ela

Ela já foi doceira,
Já vendeu toalha e sapato de cristal.
Ela já vestiu abrigo, já inventou sorrisos
Em outros carnavais.
Ela já dançou a sorte,
Enganou morte e foi lenha de fogueira.
Ela já foi santa, já fingiu de manto
Pra esconder tesouro.
Hoje ela é ouro
E vende o esboço de poder ser mais.
Hoje ela está no samba
E faz uma prosa pelos castiçais,
E ilumina esses destinos,
E se equilibra em seus tamancos
Emprestando seu perfume
Vestindo-se de gérbera pra enfeitar palanques,
Pra colorir o palco dos seus tantos ais.

Arquivo do blog