Feed

Assine o Feed e receba os artigos por email

quarta-feira, 31 de dezembro de 2008

Meu último poema

Foi mãozinha rústica, cheia de terra,
desembrulhou papel de bala
e guardou no coração, num abraço
feito aço que não enverga,
a embalagem em letrinhas miúdas
pra fabricar barquinho e trocar presente.
Foi assim, sentado no chão,
com macacão de pernas curtas,
procurando esconderijo
onde se esconde as formiguinhas pela manhã
e a folha verde balançando prá lá e prá cá.
De repente um olhar vistoso...
É assim que descobre segredos:
Estava guardado um poema num formigueiro
de fim de carreata,
tanto anda, tanto anda,
e vai dar num fim em poesia,
a falsa vida carraspana
de tanto pano umedecido,
tanto moleque berrando pro ar:
- Hoje tem dicionário, tem sim senhor!
Pra revelar sinônimo de descoberta,
e estava lá naquelas mãozinhas sujas,
o tempo todo, estava lá...

6 comentários:

Vivian disse...

...eu me perco em seus escritos.
afffffffffffff

Lindo,

"Se houver luz na alma,
Haverá beleza na pessoa.
Se houver beleza na pessoa,
Haverá harmonia no lar.
Se houver harmonia no lar,
Haverá ordem na nação.
Se houver ordem na nação
Haverá paz no mundo."

Antigo Provérbio Chinês

...é com estas palavras
que eu deixo a você,
que esteve comigo durante
este 2008, meus sinceros agradecimentos por ter
me dado a chance de cruzar
teu caminho, e assim
tornar-me um ser melhor.

que 2009 seja pra você,
o porto de todas as
realizações...

um beijo, querido!

Mai disse...

Oi meu lindo-poeta.

Eu não me canso e sei, não ocorrerá, jamais, qualquer cansaço, em te ler ou em dizer o quanto és terno e quanto é poético o teu viver, tuas histórias, tua simplicidade...
Eu espero, não seja este teu último poema. Sim, desejo e conto que a tua alma-menino-peralta, apronte mais outros... Com unhas sujas de terra, boca suja de manga, macacão sujo de barro, joelhos sujos do sangue do tombo de ontem, e o dente-de-leite, caindo... Porque quando és este menino, Márcio, tua alma sorri e eu também. Este é o teu melhor lado.
O que sobe nas árvores, solta pipa, come pipocas, olha as formigas em seu desfile...
Querido, a filosofia que organizaste, é tão linda, que eu me inspiro nela. Por isto, venho aqui, tantas vezes, incansadas vezes porque sei que encontrarei magia, alquimia, e, um modo absolutamente singular de se colocar, diante da realidade de um viver.
Isto é filosofia. Esta tua capacidade de, brincando, feito um menino-perene, superar as situações que se nos deparam, porque certamente, se pudéssemos, escolheríamos outra.
Isto é o saber filosófico. Aquele que se constitui como via de transformação.
Então, segue amigo-lindo, segue poemando, brincando com formigas, dicionários palavras. Continua a "tecer palavras".

Amo o que fazes e és um filósofo e poeta, porque já me dissestes, encontraste a tua maneira de se colocar diante da realidade, superando limites.

Muito, muito carinho.
Mais que isto, admiração.
Mais que isto, um bem-querer...
Que em 2009, sejas mais e mais....

Sam disse...

São nas palavras simples
Das simples mãos pequeninas
Nos olhos
nas descobertas
Que meninas inventadas,
Poetizadas...trazem as novidades!
E a maior felicidade floresce sem dificuldade, junto às belezas desta vida e de todas que hão de existir.

E se amanhã, não for nada do que se planejou,
Que os mesmos e velhos toques, do abraço desperto, das mãos inquietantes.... hão de reinventar as histórias juntando-se as partes... dos sonhos e realidades
E, continuem a nos colorir os lábios... com sorrisos sem fim!

É com carinho que despeço-me deste meu mais novo amigo, neste velho ano.

Feliz 2009!
Samara.

Mai disse...

Ei, Márcio...

Onde estás que não te vejo?

Já recomeçou um novo ano.
O poema era o último do ano que passou, ou o ultimo, prá sempre?

Para...Volta...Continua...Reescreve tudo e de novo e novamente....

Ei menininho....

'...Tu te tornas responsável...'Lembras?

Writer disse...

OLÁ, MÁRCIO,

PARABÉNS POR MAIS UM BELÍSSIMO POEMA !

DESEJO-LHE UM ÓTIMO 2009,

COM TODA A FELICIDADE QUE VOCÊ MERECE !

Abraços, Juliana

Juliana. disse...

Tantos pequenos detalhes que enchem de cor a valsa da vida, mesmo em mãozinhas pequenas, que mais vida há de se ter!
Um abraço
Ju

Arquivo do blog